Mantega continuará apoiando política externa

O novo presidente Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Guido Mantega, dará continuidade ao uso da instituição como instrumento de apoio à política externa brasileira, principalmente em relação ao objetivo de integrar a América do Sul. A informação foi dada hoje no Encontro Regional Mercosul 2004 pelo diretor demissionário de Comércio Exterior do banco, Luiz Eduardo Melin, e pelo assessor especial da Presidência da República para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia.Melin disse que a realização do encontro na sede do BNDES sublinha o papel que o banco tem como braço operacional da política externa do governo "em última instância do presidente da República". Garcia prestou homenagem ao ex-presidente do BNDES Carlos Lessa, "responsável por essa abertura à política externa brasileira, dando musculatura à política externa".Garcia disse estar "absolutamente seguro de que o meu amigo Guido Mantega dará continuidade a essa política seguindo orientação do Presidente da República". Garcia enalteceu a integração da América do Sul e o Mercosul. De acordo com ele, mais cinco países querem se associar ao Mercosul: Equador Venezuela, Peru, México e Panamá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.