Mantega convoca reunião de emergência do G-20 sobre crise

Encontro será neste sábado em Washington e reunirá representantes dos maiores países em desenvolvimento

Fabio Graner, da Agência Estado,

08 Outubro 2008 | 13h30

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, convocou nesta quarta-feira, 8, reunião de emergência do G-20 - grupo formado pelos ministros da Fazenda e presidentes de Bancos Centrais das 20 maiores economias do mundo e que tem atualmente Mantega como seu presidente. A informação foi dada à Agência Estado por um assessor de Mantega e um comunicado oficial deve ser divulgado mais tarde. O encontro foi agendado para sábado, em Washington, às 18 horas (local) e servirá para discutir a crise e seus impactos nas economias do planeta. O ministro assumiu a Presidência do grupo este ano.    Veja também: Banco Central vende dólares pela 1ª vez desde março de 2003 Fed lidera corte global de juro e taxa cai 0,5 ponto percentual Especialistas dão dicas de como agir no meio da crise Crise pode trazer executivos brasileiros de volta ao País Entenda o pacote anticrise que passou no Senado dos EUA A cronologia da crise financeira  Veja como a crise econômica já afetou o Brasil Entenda a crise nos EUA    De acordo com o assessor, a reunião foi acordada entre Mantega e o secretário do Tesouro norte-americano, Henry Paulson - que deve abrir o evento, falando sobre a crise do ponto de vista dos Estados Unidos. Também está previsto discurso de Mantega, além de uma apresentação de um representante do Ministério da Fazenda chinês. O presidente do BC brasileiro, Henrique Meirelles, também deve participar do evento.   O Ministério da Fazenda confirmou no fim da tarde, em nota à imprensa, a realização da reunião do G-20 neste sábado na sede do Fundo Monetário Internacional (FMI) em Washington. "No exercício da presidência do G-20 financeiro - grupo formado pelas vinte maiores economias avançadas e emergentes do mundo -, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, decidiu convocar reunião extraordinária dos ministérios de Fazenda, presidentes de bancos centrais e integrantes do bloco. O objetivo é discutir os aspectos da crise financeira mundial e seu impacto na economia global", diz a nota.   Bush   Além disso, a Casa Branca informou que o presidente dos EUA, George W. Bush, telefonou nesta quarta-feira para a chanceler alemã, Angela Merkel, e para o presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, para discutir a situação da economia global.   "O presidente ligou para a chanceler alemã Merkel esta tarde, para discutir as várias medidas que os EUA estão tomando para estabilizar os mercados, assim como a importância de que todos os países trabalhem juntos para coordenar nossas ações para lidar com os problemas que a economia global enfrenta. O presidente também retornou um telefonema do presidente Lula sobre o mesmo assunto", disse a porta-voz da Casa Branca, Dana Perino.   Criado em resposta às crises financeiras do final dos anos 90, o G-20 é composto pelos Ministros de Finanças e Presidentes de Bancos Centrais de 19 países: África do Sul, Alemanha, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Brasil, Canadá, China, Coréia do Sul, França, Índia, Indonésia, Itália, Japão, México, Rússia, Turquia, Reino Unido e Estados Unidos. A União Européia também faz parte do Grupo, representada pela presidência rotativa do Conselho da União Européia e pelo Banco Central Europeu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.