Mantega critica 'análises distorcidas' da economia

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, criticou hoje o noticiário sobre a economia brasileira, que ele considera pessimista. "As análises do noticiário aparecem distorcidas, salientam os defeitos e as dificuldades, e não os avanços significativos da a economia brasileira", afirmou em palestra do Fórum de Economia da FGV.Mantega recomendou aos presentes a leitura do noticiário estrangeiro sobre o Brasil, em especial a revista britânica The Economist, além dos relatórios do Comitê de Mercado Aberto (FOMC) dos EUA e do Fundo Monetário Internacional (FMI). "Eles falam bem do Brasil. Até a Moody''s falou que estamos próximos ao investment grade", disse o ministro. Mantega também rebateu afirmações de outros palestrantes que haviam dito que a China e a Índia crescem a níveis muito superiores ao brasileiro."É preciso considerar que há enormes diferenças, inclusive históricas, entre esses países e o Brasil", disse o ministro, justificando que sua exposição iria mostrar o que o noticiário não mostra sobre a economia: "As contas públicas melhoraram, o déficit nominal caiu, mas tem gente que diz que os gastos estão em alta. Parece haver um certo niilismo em relação à economia brasileira", afirmou, em tom de crítica.O ministro admitiu que a economia brasileira "não está no paraíso", mas não dá para "dizer que nada vai dar certo": "Tanto o dado do Produto Interno Bruto (PIB) quanto o da Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios (Pnad) mostram que um outro Brasil está sendo construído.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.