Mantega defende ação coordenada e diz que Brasil está forte

Ministro afirma que País tem situação sólida e mantém o crescimento, apesar da turbulência nos mercados

Redação,

10 de outubro de 2008 | 15h30

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou nesta sexta-feira, 10, que a crise financeira só será resolvida com uma ação coordenada entre todos os países e que, por essa razão, decidiu convocar a reunião do G-20 - grupo integrado pelos principais países em desenvolvimento do mundo. O ministro afirmou ainda que o Brasil tem uma situação sólida e mantém o crescimento, apesar da turbulência nos mercados. O ministro embarcou na noite de quinta-feira para Washington, onde está sendo realizada a reunião anual do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial.   Veja também: Como o mundo reage à crise  Confira as medidas já anunciadas pelo BC contra a crise Entenda a disparada do dólar e seus efeitos Especialistas dão dicas de como agir no meio da crise A cronologia da crise financeira  Veja como a crise econômica já afetou o Brasil    "Os países estão dispostos a usar todas as armas e é com esta disposição que vamos debelar a crise", afirmou o ministro ao sair de encontro com o diretor-gerente do FMI, Dominique Strauss-Kahn. Segundo Mantega, o Brasil não tem problema de solvência de instituições, mas de liquidez.     "Vocês viram o Reino Unido, ontem, anunciando um pacote de US$ 1 trilhão de dólares para socorrer os bancos ingleses e outros países também tomando medidas desta natureza. Nós no Brasil não precisamos tomar medidas tão forte quanto estas porque os problemas que temos lá são menores, muito menores do que esses. Mas o que eu quero dizer é que temos a mesma disposição de usar todos os instrumentos que o Estado possui para resolver os problemas que se apresentam", disse.Ele ainda tentou transmitir calma ao mercado e disse: "Porque sou ministro da Fazenda do Brasil, não perdi o sono. Acho que colegas de outros países estão perdendo".   Mantega disse ainda que o governo esta "identificando rapidamente" os problemas de liquidez e combatendo-os. Estes problemas, acredita Mantega, são mais localizados e estão "em um ou outro setor que estava alavancado em câmbio e que teve problema". "Portanto, não é o caso de perder o sono, porque a nossa situação, no geral é muito satisfatória", acrescentou, citando que o Brasil tem "reservas elevadas".     Um ponto importante na crise financeira atual, continua o ministro, é que "os países estão demonstrando que estão dispostos a usarem todas as armas que têm disponíveis para combater a crise. Não há limites para a ação dos Estados", avalia. "Com essa disposição é que eu tenho a certeza que nós conseguiremos debelar a crise", acrescentou.       (com Nalu Fernandes, da Agência Estado)   Texto atualizado às 18 horas

Tudo o que sabemos sobre:
Crise nos EUAcrise financeiraMantega

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.