Mantega demite 2 auditores da Receita por improbidade

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, demitiu hoje dois ex-graduados funcionários da Receita Federal - Paulo Baltazar Carneiro e Sandro Martins Silva - por improbidade administrativa e por gerenciar e administrar empresa privada. Eles foram investigados em processos abertos pela Corregedoria da Receita, que resultaram na demissão, e respondem ainda a inquérito do Ministério Público, acusados de favorecer empresas privadas em troca do recebimento de propinas.Sandro e Paulo Baltazar eram sócios da empresa Martins Carneiro, que dava consultoria na área tributária. De acordo com as investigações, eles atuavam dos dois lados do balcão e chegavam a modificar normas tributárias para favorecer os clientes que, desse modo, conseguiam reduzir ou escapar do pagamento de multas milionárias impostas pelo Fisco.Os dois auditores foram muito influentes na Receita Federal durante vários anos. Paulo Baltazar foi secretário-adjunto da Receita Federal. Quando as acusações vieram à tona e as investigações começaram, ele já era aposentado, mas exercia o cargo de assessor da Receita. Sandro Martins ainda se encontrava na ativa e era assessor do então secretário da Receita, Everardo Maciel. A Corregedoria não informou detalhes dos processos que resultaram nas demissões dos dois servidores. Ao longo dos últimos anos, eles foram citados em várias denúncias envolvendo empresas nacionais e estrangeiras. O caso foi um dos mais rumorosos do serviço público federal, por envolver funcionários de alto escalão da Receita.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.