Mantega destaca atuação em CPI ao confirmar Cartaxo

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, confirmou hoje a nomeação de Otacílio Cartaxo para o cargo de secretário da Receita Federal. Segundo Mantega, a decisão será publicada na edição de amanhã do Diário Oficial da União. Cartaxo estava como secretário interino da Receita em substituição a ex-secretária Lina Vieira. "Eu estou anunciando a nomeação do novo secretário da Receita Federal. É o auditor Otacílio Cartaxo, que era o secretário provisório, interino, e agora, passa a ser definitivo. Otacílio é funcionário da Receita há muitos anos e já percorreu todos os degraus da carreira", disse Mantega, citando que Cartaxo já foi superintendente, inspetor, delegado, chefe de sessão, auditor e secretário-adjunto de Lina Vieira, ex-secretária da Receita.

ANNE WARTH, Agencia Estado

13 de agosto de 2009 | 20h34

Mantega fez elogios ao trabalho de Cartaxo e citou a atuação do secretário no depoimento à CPI da Petrobras, no Senado, nesta semana. "É um homem muito capacitado para o cargo. É um técnico muito competente. Os senhores puderam ver a atuação dele na CPI, em que explicou calma e detalhadamente a atuação da Petrobras. Portanto, estou satisfeito com o trabalho dele e, agora, estou efetivando Cartaxo para o cargo", disse o ministro, no evento de premiação da revista IstoÉ Dinheiro, em São Paulo.

Segundo Mantega, a orientação da Receita Federal permanecerá a mesma com a nomeação de Cartaxo. "A recomendação é que ele siga a política definida por mim, por ocasião da posse da antiga secretária. Eu determinei que a Receita Federal melhorasse seu desempenho, principalmente no atendimento ao público, e que fizesse uma fiscalização mais forte, principalmente nos grandes contribuintes, e procurasse explicar a queda da arrecadação, evidentemente, em grande parte, por causa da queda do nível de atividade, mas também porque os contribuintes estão compensando tributos", declarou. "Determinei também que houvesse o arejamento da Receita", disse o ministro, referindo-se a um concurso público para contratação de novos delegados. "É uma coisa nova, nunca se fez isso e, portanto, quero que todos os novos delegados sejam avaliados e selecionados por esse concurso que nós estamos fazendo."

Segundo Mantega, o concurso dará chance para que todos os auditores possam concorrer ao cargo de delegado da Receita, mesmo que não sejam indicados. Mantega disse também que caberá a Cartaxo decidir se os atuais superintendentes serão mantidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.