Mantega diz não descartar novas medidas até dezembro

Ministro também evitou entrar na polêmica sobre o tamanho do lucro das montadoras e o preço dos automóveis no Brasil

Renata Veríssimo, Célia Froufe e Adriana Fernandes, da Agência Estado, Agencia Estado

29 de agosto de 2012 | 18h25

BRASÍLIA - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, não descartou a adoção de novas medidas de estímulo à economia até dezembro. "Se for preciso, vamos adotar outras medidas de estímulo e de redução de custo, além de outras medidas tributárias", afirmou.

Ele também evitou entrar na polêmica sobre o tamanho do lucro das montadoras e o preço dos automóveis no Brasil. "Não sei a rentabilidade das empresas, não sei como adivinhar o lucro das empresas, mas espero que, com as medidas (de redução do IPI), haja redução dos preços", disse.

Segundo ele, tem havido uma redução sistemática dos preços de carros novos. "Espero que os brasileiros tenham chance de comprar pelo mesmo preço do carro lá fora. A tendência é de redução dos preços dos carros populares", disse.

Cesta básica

Mantega disse que o governo está com limitações fiscais para sancionar a desoneração da cesta básica, aprovada pelo Congresso por meio da Medida Provisória 563, do Plano Brasil Maior. Segundo o ministro, a desoneração é de PIS e Cofins. "Estamos sem limite para desoneração. Para reduzir tributos que não regulatórios, preciso acrescentar outro tributo. Esta é nossa dificuldade com a desoneração da cesta básica", explicou o ministro, informando que o governo vai avaliar se vetará ou não a desoneração.

Tudo o que sabemos sobre:
Mantegamedidasfuturo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.