Mantega diz que economia se recupera neste fim de ano

Segundo o ministro da Fazenda, PIB do País terá recuperação em novembro e dezembro

Renata Veríssimo e Célia Froufe, da Agência Estado,

23 de novembro de 2011 | 12h13

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse hoje que "a boa notícia" é que a economia brasileira terá aceleração neste fim de ano. Segundo ele, até outubro, a economia "foi mal", mas terá uma recuperação em novembro e dezembro. "Tenho indicadores de que a economia está se acelerando", afirmou, em audiência pública na Câmara dos Deputados.

"A economia está tomando novo impulso. Vamos entrar em 2012 com um crescimento maior, com aceleração, seja pelas condições, seja pelas medidas que adotamos", afirmou.

O ministro destacou também o controle da inflação. Segundo ele, a inflação está caindo e deve permanecer no patamar de 0,45% ao mês. Mantega disse que os preços das commodities estão recuando e devem se refletir no preço dos alimentos no Brasil.

Investimentos

Mantega defendeu que o aumento dos investimentos é fundamental para manter a taxa de crescimento saudável. Ele salientou que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revisou recentemente dados sobre o tema, elevando de 16,9% para 18,1% o total de investimentos no País em relação ao Produto Interno Bruto (PIB). "Isso vai implicar revisão dos dados para frente. O investimento/PIB subiu e haverá melhora também em 2011", disse o ministro, durante a audiência pública na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara.

Na avaliação de Mantega, os investimentos públicos complementam e estimulam investimentos privados. Ele salientou que, mesmo com desaceleração da economia este ano, o País conseguiu manter a criação de empregos. "Criamos 1,9 milhão (de empregos) este ano. O Brasil é um dos países que mais geram empregos no mundo em termos relativos. Isso é fundamental", afirmou. Ele disse que o aquecimento do mercado de trabalho significa aumento da massa salarial e do consumo e que esse quadro é que vai estimular o crescimento da economia brasileira.

Classificação de risco

Ainda na audiência, Mantega comemorou a melhora da classificação de risco do Brasil, de BBB- para BBB, pela agência de classificação S&P. "Isso é muito importante. Na hora da crise, confiança é fundamental".

Segundo ele, o Brasil está mais bem preparado para enfrentar a crise mundial do que estava em 2008. Ele destacou que as reservas internacionais estão maiores, em US$ 350 bilhões, além do um mercado interno relevante.

Tudo o que sabemos sobre:
economiacrescimentoMantegaCâmara

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.