Mantega diz que FMI questionou governo sobre TJLP

O ministro do Planejamento, Guido Mantega, afirmou hoje que técnicos do Fundo Monetário Internacional (FMI) questionaram o governo em relação à cobrança da TJLP (Taxa de Juros de Longo Prazo) pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para financiamentos. "Eles levantaram a questão, mas (o questionamento) não veio por via oficial, ainda. Se vier e for uma preocupação efetiva do FMI, nós esclareceremos", disse o ministro, antes de participar, em hotel de Brasília, do encontro chamado 7ª Marcha dos Prefeitos. Mantega afirmou que a TJLP não é um subsídio, e sim um juro real. "O FMI não entendeu, ainda, a natureza da TJLP. Então, provavelmente, fez uma comparação com a Selic (taxa básica de juros da economia brasileira) e chegou à conclusão de que é um subsídio, mas não é não. A TJLP constitui um juro real positivo", disse Mantega. "Subsídio é quando você dá um juro negativo, abaixo da inflação". Ele ressaltou que a inflação no País é de 6% a 6,5%, a TJLP chega a 10%, e os tomadores de empréstimos do BNDES precisam pagar ainda outras taxas de empréstimos. O ministro disse ainda que a TJLP é uma taxa maior do que as taxas de juros cobradas em outros países membros da Organização Mundial do Comércio (OMC). "Pode comparar: qualquer outro país da OMC que conceda financiamentos de investimentos a longo prazo cobra taxas muito inferiores do que as nossas. Portanto, essa questão é uma questão de entendimento e de esclarecimento."

Agencia Estado,

16 Março 2004 | 19h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.