Mantega diz que governo não discute redução do superávit

A assessoria do ministro do Planejamento, Guido Mantega, disse hoje, em entrevista exclusiva à Agência Estado, por telefone, que a meta de superávit primário de 4,25% do PIB para 2005 "não está em discussão" no governo. O ministro fez a afirmação para tentar esclarecer as informações dadas por ele durante um evento em São Paulo, de que o superávit do ano que vem poderia ser alterado. "O que está em discussão dentro do governo é como implantar o mecanismo anticíclico a partir de 2005, além do próprio orçamento do ano que vem", disse o assessor José Carlos Miranda. Pelo mecanismo anticíclico, o superávit será medido de acordo com a variação do PIB, ou seja, quanto mais crescer a economia, maior será a economia para o pagamento de juros e vice-versa.

Agencia Estado,

09 Março 2004 | 17h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.