Mantega diz que precisa da estatal para fechar contas

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse ontem que o governo não pensa em retirar a Eletrobrás do cálculo do superávit primário das contas do setor público, como fez com a Petrobrás. A proposta é defendida pelo ministro de Minas e Energia, Edison Lobão. "Estamos em um ano difícil sob o ponto de vista fiscal. A arrecadação caiu e precisamos da colaboração da Eletrobrás para fechar as contas'', afirmou, na cerimônia do 19.º Prêmio FGV de Excelência Empresarial. ''A Eletrobrás passa por um processo de dinamização e futuramente poderá ser a Petrobrás do setor elétrico. Eu acredito nisso, mas no momento ainda vamos manter o primário dela (nas contas do governo)'', disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.