Mantega diz que queda na arrecadação de impostos é 'natural'

Para ministro da Fazenda não há motivo para preocupação, pois arrecadação e economia voltarão a crescer

Anne Warth, da Agência Estado,

21 de agosto de 2009 | 00h07

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse considerar "natural" a queda da arrecadação de impostos e contribuições federais, divulgada nesta sexta-feira, 21, pela Receita Federal. No mês passado, o recolhimento de tributos totalizou R$ 58,672 bilhões, um recuo de 9,38% em relação ao mesmo período de 2008. "Quando há uma queda no PIB como neste ano e também desonerações, que já chegaram a R$ 15 bilhões, é natural que a arrecadação caia", disse Mantega, após o lançamento da 9ª edição do "Anuário Valor 1.000", organizado pelo jornal Valor Econômico, em São Paulo.

Mantega destacou que não há motivo para preocupação, uma vez que arrecadação deve voltar a crescer assim que a economia retomar o ritmo das atividades, já a partir do segundo trimestre deste ano. "Nós apostamos na retomada, ela já está acontecendo em praticamente todos os setores econômicos", afirmou. "A arrecadação aparece dois ou três meses depois que o fato gerador se dá, depois que começa a recomposição da atividade econômica."

Mantega afirmou que a iniciativa de recriar a CPMF, agora com o nome de CSS (Contribuição Social para Saúde), é do Congresso e que não está acompanhando o assunto de forma direta. Ele ressaltou, no entanto, que considera a alíquota, de 0,1%, pequena. "Me parece que a proposta que eles estão fazendo é de uma alíquota pequena e que não vai, digamos, pesar muito no bolso do consumidor", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
MANTEGAARRECADAÇÃO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.