-15%

E-Investidor: como a queda do PIB afeta o mercado financeiro

Mantega diz que se satisfaz com crescimento positivo

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, alterou de novo, ao menos temporariamente, a avaliação de que a sua pasta trabalha com a meta para crescimento em 2009 próxima de 3% a 3,5%. Perguntado pela Agência Estado se a sua projeção para a expansão deste ano está próxima à do BC, de 1,2%,o ministro foi categórico. "Fico satisfeito se registrarmos um crescimento positivo em 2009, seja de 1%, 2% ou 2,5%, de modo a não permitir que caia o desemprego e que tenhamos as conquistas registradas nos últimos três anos'', afirmou. Mantega ressaltou que a crise financeira internacional provocou uma recessão muito forte no mundo a ponto de levar vários países desenvolvidos a apresentar PIB negativo neste ano, como é o caso do Reino Unido. Segundo o ministro, o país europeu deve exibir retração de 3% neste ano. Mantega disse que, em breve, quando o cenário econômico estiver mais claro, poderá fazer uma estimativa para o PIB deste ano. Ele afirmou que trabalhava com a meta de inflação do País próxima de 4% até pouco antes da divulgação do PIB do quarto trimestre, quando exibiu uma redução de 3,6% na margem. Como o País apresentou uma fortíssima desaceleração no final de 2008, tal fato deve provocar efeitos negativos sobre o nível de atividade neste primeiro semestre. Contudo, o ministro ressaltou que há fatores externos que podem colaborar para que o Brasil apresente um desempenho mais vigoroso do que o esperado neste ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.