Mantega empossa nova presidente da CEF em solenidade fechada

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, preferiu uma solenidade fechada para dar posse, nesta quinta-feira, à nova presidente da Caixa Econômica Federal, Maria Fernanda Ramos Coelho. Apenas os repórteres fotográficos e cinegrafistas tiveram acesso ao local da posse, no 6º andar do Ministério da Fazenda. Funcionária do banco há 22 anos, Maria Fernanda não tocou, em seu discurso, na crise de credibilidade que a instituição atravessa, depois da quebra ilegal do sigilo bancário do caseiro Francenildo dos Santos Costa, que culminou na demissão de Jorge Mattoso da presidência da instituição.No discurso, Maria Fernanda destacou o fato de ser a primeira mulher a dirigir um banco federal. "É um fato importante para a eqüidade de gênero", afirmou. Ela disse que com 15.200 postos de atendimento, a Caixa está presente em todos os 5.562 municípios do Brasil, sendo hoje o maior agente de implementação das políticas públicas ao governo federal. "Em sintonia com a sua vocação histórica, a Caixa, no governo do presidente Lula, foi reorientada a cumprir realmente sua missão institucional de banco público", afirmou. TumultoUma manifestação de um grupo de 50 servidores administrativos do ministério, que estão em greve, tumultuou a porta de entrada do ministério. Os servidores faziam barulho com apitos, fogos de artifício e música em alto volume. Os grevistas pediam para ser recebidos pelo novo ministro, para reivindicar o plano de carreiras. Eles conseguiram se concentrar no hall de entrada do ministério, ao lado do carro oficial, para aguardar a sua saída de Guido Mantega, que daqui a pouco seguirá para o Palácio do Planalto, para um encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.