Mantega espera que G-20 traga mais regulação financeira

Controle pode 'trazer mais confiança aos mercados para evitar a próxima crise', afirma ministro da Fazenda

Marcílio Souza, da Agência Estado,

23 de setembro de 2009 | 13h17

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse esperar que a reunião do G-20 proponha medidas mais rígidas para regular a economia mundial, sugerindo testes de estresse anuais para os bancos e uma supervisão maior sobre os mercados de futuros e derivativos. Os líderes do G-20 reúnem-se nesta quinta-feira e sexta-feira em Pittsburgh.

 

Veja também:

linkCúpula de Pittsburgh: temos motivos para comemorar?

linkAlemanha quer que G-20 enfoque regulação financeira

linkEUA chegam ao G-20 enfraquecidos

 

A regulação maior vai "trazer mais confiança aos mercados para evitar a próxima crise", disse Mantega. Os maiores bancos do mundo poderão ser submetidos a testes de estresse anuais para que se verifique a solidez de suas operações, acrescentou.

 

Mantega disse que também espera que o G-20 sugira regras para os mercados de futuros e derivativos, como a imposição de limites de alavancagem, semelhantes aos parâmetros já utilizados para outras atividades bancárias. Ele acrescentou que o G-20 também poderia propor limites para os pagamentos de bônus de executivos do alto escalão dos bancos. O sistema de bônus, segundo ele, "motivou operações bancárias audaciosas".

 

Mantega disse esperar que os líderes do G-20 discutam o reequilíbrio da economia mundial e uma possível mudança da forma como o Fundo Monetário Internacional monitora a economia global. Ele disse também que espera que a reunião em Pittsburgh estabeleça o G-20 como o fórum econômico mais importante do mundo. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.