Mantega fala com ministro colombiano e inicia reuniões no FMI

Ministro da Fazenda e presidente do BC devem defender sistema global de supervisão de entidades financeiras

Neri Vitor Eich e Nalu Fernandes, da Agência Estado,

10 de outubro de 2008 | 11h15

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, tem encontro em Washington (Estados Unidos), ao meio-dia local (14 horas no horário de Brasília), com o ministro da Fazenda da Colômbia, Oscar Ivan Zuluaga. Ele chefia a delegação brasileira nas reuniões anuais do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial (Bird), da qual participa também o presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles. Eles devem defender durante os encontros um sistema global de supervisão de entidades financeiras.   Veja também: Bush receberá ministros do G7 na Casa Branca Como o mundo reage à crise  Reino Unido congela ativos do banco islandês Landsbanki FMI age para garantir crédito a emergentes Confira as medidas já anunciadas pelo BC contra a crise Entenda a disparada do dólar e seus efeitos Especialistas dão dicas de como agir no meio da crise A cronologia da crise financeira  Veja como a crise econômica já afetou o Brasil    Mantega e Meirelles se reuniriam com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pouco antes de embarcarem para os Estados Unidos para uma discussão final sobre a crise financeira internacional e sobre a pauta da reunião em Washington.   O encontro de Mantega e Zuluaga é na sede do Banco Mundial. Depois do almoço, Mantega inicia a participação nos encontros oficiais: às 15h30, estará na Reunião da Constituency do Brasil no FMI e, às 16h30, na Reunião da Constituency do Brasil no Banco Mundial. Essas duas reuniões são na sede do FMI. A agenda oficial de Mantega foi divulgada pela Assessoria de Imprensa do Ministério da Fazenda.   Nesta tarde, o diretor do FMI para o Departamento do Hemisfério Ocidental, Anoop Singh, discute os acontecimentos recentes na América Latina em face da crise financeira mundial. A apresentação vai antecipar o relatório regional do FMI para a América Latina, que será divulgado na segunda quinzena do mês, e também será a despedida do indiano do posto.   A apresentação de Singh será a última nos encontros anuais do Fundo como o dirigente do Hemisfério Ocidental, cargo que ocupa desde 2002. A partir de 2009, o indiano assume a diretoria do Fundo para o Departamento da Ásia-Pacífico. A vaga no Departamento do Hemisfério Ocidental será ocupada, em janeiro do próximo ano, pelo ex-ministro das Finanças do Chile Nicolás Eyzaguirre.   Nesta semana, o FMI divulgou projeções para a América Latina e outras regiões do Hemisfério Ocidental, área que compreende as Américas, no capítulo que também continha projeções para outras regiões no relatório Perspectiva Econômica Mundial (WEO, na sigla em inglês). De acordo com a assessoria do Fundo, o relatório regional, dedicado prioritariamente `a América Latina, será publicado no dia 22.   No documento divulgado esta semana, o FMI projetou que o PIB da América Latina ficará em 4,5% em 2008 e em 3,25% em 2009, abaixo dos 5,5% de 2007. A constatação foi que as economias da região enfrentam "uma mistura delicada de desaceleração da atividade econômica, condições externas mais difíceis e níveis altos de inflação".   (com Reuters)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.