Mantega: governo não teme capital especulativo

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou hoje que o governo não teme a entrada de capital especulativo no País por causa da obtenção do grau de investimento, concedido pela agência de classificação de risco Standard & Poor''s (S&P) na quarta-feira da semana passada (dia 30). Ele contou que, na reunião que teve hoje pela manhã com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente do Banco central, Henrique Meirelles, a avaliação sobre a elevação da nota de risco de crédito (rating) foi positiva. "O Brasil será objeto de novos investimentos externos de boa qualidade", afirmou. Segundo Mantega, a cobrança do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) para aplicações de renda fixa já reduziu a entrada de capital especulativo no País. Para o ministro, esse tipo de dinheiro tem aumentado na Bolsa brasileira. Ele alegou que, na verdade, o Brasil já estava com condição de grau de investimento, o que já tornava o País bastante atraente. "O que poderá ocorrer agora é a entrada dos fundos de pensão que são mais conservadores e só aplicam em países com o grau de investimento, mas isso se dará com a prudência do momento presente." Mantega argumentou que há uma falta de liquidez no mercado internacional, logo, "não tem muito dinheiro para vir para o Brasil". "Haverá um aumento gradual de investimento externo, e ele será positivo porque irá se somar aos investimentos que já estão ocorrendo no Brasil, de modo a ampliar a produção nacional e, eventualmente, as exportações", reforçou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.