Mantega: governo vai cortar gastos sem sacrificar PAC

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou hoje que o governo fará ajustes no Orçamento com cortes, sem sacrificar o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e os investimentos prioritários. "É claro que vamos fazer cortes e redução de gastos para acomodar o 0,5 ponto porcentual", disse, numa referência ao aumento informal da meta do superávit primário, de 3,8% para 4,3% do Produto Interno Bruto (PIB). E acrescentou: "O governo tem uma filosofia de austeridade."Segundo Mantega, o balanço da economia brasileira continua positivo, porque ela se mantém numa trajetória "muito saudável". O ministro disse que o governo vai impedir que a inflação, "que vem de fora", se propague dentro da economia brasileira. "São muito importantes as medidas para estimular a oferta. A inflação se combate com aumento da oferta. Temos condições de fazer isso", completou.O ministro concedeu entrevista à imprensa para relatar a reunião realizada pela manhã com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ministros da área econômica e economistas de fora do governo. Segundo ele, tratou-se de uma reunião rotineira para se avaliar a conjuntura econômico-financeira do País e do mundo.

ADRIANA FERNANDES, FERNANDO NAKAGAWA E FABIO GRANER, Agencia Estado

19 de junho de 2008 | 17h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.