Mantega não faz coro à preocupação com moeda chinesa

A crise da Grécia não vai afetar a recuperação mundial, afirmou ontem o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Segundo ele, a Grécia "não tem tamanho suficiente para ameaçar" o processo de recuperação econômica mundial. "A questão da Grécia é equacionável". O FMi está discutindo o pacote de ajuda à Grécia. Mantega vai se reunir hoje com o ministro George Papaconstantinou.

PATRÍCIA CAMPOS MELLO, O Estado de S.Paulo

24 de abril de 2010 | 00h00

Ontem, Mantega teve reunião com o ministro das finanças chinês, Xie Xuren. Mas não fez coro às preocupações do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, com o problema causado pelo câmbio chinês desvalorizado. Mantega não quis dizer se a questão do câmbio chinês foi central na conversa. E afirmou que os desequilíbrios cambiais com a China serão resolvidos por meio de outros mecanismos, como adoção de comércio em moeda comum.

Perguntado se a questão do yuan desvalorizado é um problema para o Brasil, Mantega respondeu: "O pivô disso tudo é a desvalorização da principal moeda , o dólar. O problema central está no dólar, com reflexos para outras economias." Segundo ele, é possível "ter uma aproximação monetária e financeira maior com a China e outros países emergentes de modo a minimizar essas disparidades cambiais que hoje nos prejudicam".

Mantega citou comércio em moeda local e participação em fundo financeiro comum como opções.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.