Mantega nega risco de desabastecimento no comércio

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, negou ontem (7) à noite haver um risco de desabastecimento no comércio devido ao aquecimento do consumo às vésperas de fim de ano. Segundo ele, os preços das mercadorias estão comportados, o que reflete a disponibilidade de produtos. "Não faltarão produtos para brasileiros neste fim de ano. Podem comprar à vontade. Não haverá problema", disse o ministro, após participar, em São Paulo, da premiação "Brasileiro do Ano", organizada pela revista "IstoÉ", na qual recebeu o prêmio de Brasileiro do Ano na Economia.

ANNE WARTH, Agencia Estado

08 de dezembro de 2009 | 03h25

Mantega ponderou que poderá haver falta de um ou outro produto, mas que isso não poderá ser avaliado como desabastecimento. "Pode faltar uma máquina de lavar roupa, um determinado modelo de carro, mas que eu saiba, todos estão fazendo um grande esforço de produção e o investimento já retornou", analisou.

De acordo com Mantega, a crise, ao menos no Brasil, já acabou. Ele garantiu que o próximo presidente da República vai herdar uma economia totalmente sólida e que deve crescer a um ritmo acima de 5% ao ano. "Além de tudo, ainda entregaremos um caixa bom para o próximo presidente", destacou. "Temos ainda alguns problemas a resolver, mas a economia já está em velocidade de cruzeiro."

Tudo o que sabemos sobre:
Mantegadesabastecimento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.