Mantega: objetivo do Fundo Soberano é a questão fiscal

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, enfatizou hoje, em palestra na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), que o objetivo mais importante da criação do Fundo Soberano do Brasil (FSB) é a questão fiscal. "Não precisamos chamar nem de Fundo Soberano. Poderíamos chamá-lo apenas de fundo fiscal", ressaltou. Segundo ele, as outras pernas que também compreendem o objetivo do fundo, como a do controle cambial e da atividade financeira, poderiam ser agregadas posteriomente. "O mais importante é que o fundo garante que faremos o primário no longo prazo."Questionado sobre a razão de o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, supostamente ser contra a criação do fundo, Mantega foi taxativo: "O Meirelles não é contra, perguntem a ele. Tenho conversado com ele com freqüência, inclusive na última sexta-feira, e ele é favorável". Mantega acrescentou que Meirelles é a favor do fundo desde que ele cumpra o objetivo fiscal, levando a uma necessidade menor de alta dos juros. "Meirelles é contra a fundos que mexem com as reservas internacionais, mas este não é o caso."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.