Mantega: Parte dos dólares do pré-sal ficará no exterior

O ministro da Fazenda, Guido Mantega,disse nesta quarta-feira que o governo pretende deixar partedos recursos que serão arrecadados com o petróleo do pré-sal noexterior para evitar um estímulo à inflação e também que o realse valorize excessivamente. "O Brasil vai fazer como outros países já fizeram e não vaicolocar dentro do país todos os dólares que ele auferir (com opré-sal)", disse o ministro a jornalistas após encontro com opresidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP). Ele frisou que uma comissão do governo ainda estudadetalhes da formatação do modelo de exploração do pré-sal e queas alternativas serão apresentadas até o final do ano. Segundo Mantega, parte dos recursos da exploração tambémserão direcionados ao fundo soberano, cuja criação aindatramita no Congresso. "Evidentemente uma parte do pré-sal irá para o fundo(soberano)", disse ele, acrescentando que outras parcelas dosrecursos poderão ir para saúde, educação e para o abatimento dadívida pública. Mantega fez um apelo a Chinaglia para agilizar a votaçãopara a aprovação do fundo soberano e argumentou que caso oprojeto não seja votado até o final do ano, a economiaadicional de 14 bilhões de reais que o governo se comprometeu afazer em 2008 para o fundo terá que ser usada no pagamento dejuros da dívida pública. Mantega negou que o governo já tenha decidido taxar asoperações de leasing com Imposto sobre Operações Financeiras(IOF). "Neste momento não há nenhuma medida neste sentido",afirmou, acrescentando que esse é um imposto regulatório que ogoverno pode usar quando julgar adequado. (Reportagem de Isabel Versiani; Edição de Renato Andrade eAlexandre Caverni)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.