Mantega pede apoio de Serra para a reforma tributária

Após encontro com o governador de São Paulo, José Serra, para esclarecer detalhes do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), o ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que conta com a colaboração do governador tucano na formulação da reforma tributária. Mantega disse que seu pedido era uma contrapartida às solicitações de Serra de recursos federais para a linha 2 do metrô, para o trecho sul do Ferroanel, de renúncia do PIS/COFINS para empresas de água e esgoto de todo o país e compartilhamento de gestão do porto de Santos, que atualmente tem administração federal. "De minha parte, fui mais modesto. Eu só fiz um pleito ao governador, para que ele nos ajudasse a implementar a reforma tributária, que considero muito importante para o país", disse Mantega a jornalistas após o encontro com Serra nesta sexta-feira. "O governador conhece muito bem essa matéria. É um expert, conhece muito mais do que eu, diga-se de passagem", completou Mantega, confirmando que Serra concordou em ajudá-lo nessa tarefa na reunião do dia 6 de março do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com os governadores para tratar do PAC. Ao detalhar o programa com Serra, Mantega afirmou que as obras do Rodoanel, em São Paulo, terão nos próximos quatro anos 1,2 bilhão de reais de investimento previsto no PAC. Antes do encontro, Serra se queixou que o PAC não falava de quanto seria destinado à obra. Serra considerou a reunião com Mantega "bastante produtiva", mas disse, sem detalhar, que o programa ainda precisa "complemento na política macroeconômica". Após o lançamento do PAC, Serra comentou que o programa não era um "plano de crescimento do conjunto da economia". Perguntado sobre suas críticas ao programa, que teria considerado fraco, Serra recusou a expressão. "Eu não usei a expressão fraco, eu disse que havia itens vagos. De fato, não havia especificação, coisa que agora foi apresentada", disse Serra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.