Mantega: prioridade do governo é combater a inflação

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou hoje que "a prioridade do governo é o combate à inflação". Com o esforço fiscal para criar o Fundo Soberano do Brasil (FSB), "estamos ajudando com a política fiscal a política monetária". De acordo com Mantega, é a política monetária que vai manter a inflação dentro das metas, o que já está sendo praticado. "Nós estaremos ajudando reduzindo a demanda agregada", disse.O ministro explicou que concepção do Fundo Soberano que já vinha sendo discutida é exatamente a mesma. "Nada foi mudado", disse. "Só que, nesse momento, a prioridade é o combate a inflação. E a garantia de que a inflação brasileira está sob controle e vai continuar sob controle." Mantega chamou a atenção para a alta dos juros pelo Banco Central no mês passado e para a redução de tarifas de importação para o trigo e aço e para a desoneração da Cide sobre os combustíveis. "Hoje, a prioridade do governo é segurar a inflação", reiterou, destacando que "é bom lembrar que o Brasil tem tido um dos melhores desempenhos no combate inflacionário". O ministro lembrou que a inflação no País é menor do que a chilena, a chinesa e a russa. "E nós temos condições de manter a inflação sob controle. Claro, desde que se façam medidas de política fiscal e de política monetária", ponderou.Mantega avaliou ainda que a alta dos preços está sendo causada em grande parte pelos alimentos. "O último IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor Amplo - 15) demonstra que são os alimentos que estão puxando a inflação", afirmou, citando o arroz, o pãozinho e a carne. Ele acredita que Brasil tem grande possibilidade de aumentar a produção. "Vamos fazer com que o problema se transforme em uma oportunidade, aumentando a produção e a arrecadação e expandindo a participação do País no mercado internacional", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.