Mantega reduz meta de expansão do PIB para 3% em 2013

Ministro antes previa crescimento de 3,5% neste ano; para o Banco Central, a previsão é de 2,7% 

Agência Estado,

27 de junho de 2013 | 20h28

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, reduziu nesta quinta-feira, 27, a meta informal de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2013 de 3,5% para 3%. Segundo ele esse agora é o patamar que o governo irá perseguir. Até o último relatório bimestral de orçamento, a equipe econômica ainda projetava os gastos para este ano considerando uma expansão maior da atividade.

Na quarta-feira, o ministro já havia dito no Congresso que a tendência da economia era caminhar para um crescimento de 3%. Nesta quinta pela manhã, no entanto, o Banco Central divulgou uma nova previsão para o PIB em 2013 em seu Relatório Trimestral de Inflação, rebaixando a estimativa anterior de 3,1% para 2,7%.

No fim do dia, Mantega disse que não comentaria a nova previsão do BC, mas foi mais incisivo ao estabelecer uma meta de 3%. "Meu papel não é fazer previsões, mas estabeleço uma meta de 3% de crescimento para ser perseguida. O governo tem que se esforçar para viabilizar essa meta, que é viável e boa para desenvolvimento do País", afirmou.

Para Mantega, o crescimento do PIB em 2013 será maior que o do ano passado, uma vez que os investimentos estão aumentando, a agricultura está se expandindo, a indústria está se recuperando e os serviços vêm crescendo de forma moderada.

"Os indicadores apontam que este ano teremos um crescimento maior que o de 2012, e maior que o de outros países que estão desacelerando", concluiu. No ano passado, o PIB cresceu 0,9%. 

Tudo o que sabemos sobre:
PIBMantegaBanco Central

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.