Mantega sugere a Lula vetar restrição de lei a auditores

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou na noite desta terça-feira que vai recomendar ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva o veto da chamada Emenda 3, incluída pelo Congresso Nacional no projeto que criou a chamada Super-Receita (fusão dos sistemas de arrecadação da Receita Federal e da Previdência Social). A emenda estabelece que o auditor fiscal não pode arbitrar se um contribuinte que presta serviço para uma empresa é pessoa física ou jurídica, a não ser por decisão judicial. Mantega disse que a emenda cria uma "restrição excepcional" para os auditores fiscais da Receita Federal. "É uma medida muito extremada", criticou Mantega. CopomO ministro disse ainda que demorou, mas aprendeu a não fazer comentários sobre a política monetária em véspera de reunião do Comitê de Política Monetária, do Banco Central (Copom), que se reunirá nesta quarta-feira. Ao chegar ao Ministério da Fazenda, ele foi questionado sobre o impacto que as turbulências no mercado chinês têm na decisão de desta quarta sobre a taxa básica (Selic) de juros, que está em 13% ao ano. Ele esboçou um início de resposta, mas recuou: "Pergunte ao Copom. Em véspera de Copom, não me manifesto". Mantega já foi criticado várias vezes por sugerir queda dos juros. Na véspera da reunião anterior do Copom, em janeiro, o ministro alfinetou o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, no Palácio do Planalto, durante a solenidade de lançamento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). "Demora, mas aprende", disse Mantega, rindo, ao ser provocado pelos jornalistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.