Mantega: uso da CPMF para Previdência não está definido

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta quarta-feira que o governo "ainda não tomou nenhuma decisão" sobre o repasse de parte da verba da CMPF para abater o déficit da Previdência Social, referindo-se à notícia divulgada pelo jornal O Globo. Segundo Mantega, essa medida, além da proposta transferência de parte do déficit da Previdência ao Tesouro, ainda está sendo avaliada pelo governo. "Trata-se de mudanças apenas contábeis, que estamos avaliando e que poderão dar mais transparência às contas da Previdência", disse.O ministro comentou ainda que o estudo do Tesouro divulgado na terça-feira com projeções para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) no longo prazo, a partir de 2011, está errado. Segundo o estudo publicado no Diário Oficial da União, haveria uma desaceleração no ritmo do crescimento da economia a partir de 2011. "Houve um cochilo do Tesouro, que não levou em conta em suas projeções o impacto do PAC (Programa de Aceleração de Crescimento). Os números serão revisados", afirmou.ÍndiaMantega também foi questionado sobre o fato de a Índia ter atingido na terça-feira a classificação de grau de investimento, concedido pela agência de rating Standard & Poor´s, enquanto o Brasil ainda espera alcançar esse status. "O PAC vai contribuir para que o Brasil atinja mais rapidamente o grau de investimento", disse o ministro, acrescentando que justamente para o País não ficar para trás, o governo lançou o PAC. Mantega disse ainda que as economias do Brasil e da Índia são muito diferentes e, portanto, as comparações sobre as taxas de crescimento dos dois países são descabidas. Mantega permanece em Londres até quinta-feira, mas sem compromissos públicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.