Mapa sugere Fundo do Mercosul para combate da aftosa

O Ministério da Agricultura vai propor que recursos do Fundo para a Convergência Estrutural do Mercosul (Focem, na sigla em espanhol) sejam destinados para ações integradas de combate à febre aftosa e à melhoria de qualidade e agregação de valor aos produtos agropecuários dos países do bloco econômico. O ministro da Agricultura, Luís Carlos Guedes Pinto, não participará da reunião de Cúpula do Mercosul, que será realizada nesta quinta e sexta-feira no Rio de Janeiro, mas a proposta, garantem assessores do ministério, será apresentada pelo governo brasileiro. Criado em 2004, o fundo tem um orçamento de US$ 100 milhões e serve para financiar projetos de industrialização e melhoria agrícola na região. Embora as maiores contribuições sejam do Brasil e Argentina, o Focem prioriza projetos desenvolvidos no Paraguai e Uruguai. Uma das principais preocupações dos países do Mercosul é erradicar a febre aftosa nos seus rebanhos bovinos. As informações são da assessoria de imprensa da pasta. "A erradicação da febre aftosa depende de ações conjuntas na região. Enquanto ela estiver presente no território de qualquer um dos seus sócios, os demais países do Mercosul também estarão susceptíveis a ter focos de aftosa", comentou Guedes Pinto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.