Máquina de fazer câmbio está liberada

Equipamento que troca moeda estrangeira por real será colocado em hotéis e aeroportos

FERNANDO NAKAGAWA , EDUARDO CUCOLO / BRASÍLIA , O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2012 | 03h05

Aeroportos, hotéis e locais de grande movimento passarão a ter máquinas que fazem troca de moedas. A liberação desse novo tipo de caixa eletrônico, chamado de "máquina cambiadora" foi aprovada ontem pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). O equipamento permitirá trocar reais por moedas estrangeiras e vice-versa em valor equivalente a até US$ 3 mil.

Relativamente comuns na Europa e EUA, esses terminais serão instalados e operados por instituições financeiras autorizadas a trabalhar no segmento, como bancos e corretoras de câmbio. No equipamento, o brasileiro que viajará ao exterior pode, por exemplo, introduzir reais e trocá-los por dólares ou euros. Estrangeiros que visitam o Brasil podem fazer o contrário.

Assim como no câmbio tradicional, a troca será feita mediante a identificação do cliente. Nas novas máquinas, isso ocorrerá com a introdução de um cartão bancário de uso internacional, como um cartão de crédito. O dado, porém, será apenas para identificação, não haverá saque ou pagamento da conta identificada.

Também como já acontece nas casas de câmbio, a instituição financeira poderá operar livremente a taxa de compra e venda e, eventualmente, cobrar tarifa relativa à transação, desde que previstas pelas regras do Banco Central.

Segundo o secretário executivo do BC, Geraldo Magela Siqueira, o uso das novas máquinas não incentiva o câmbio para fins ilegais, como a lavagem de dinheiro. "O cliente será identificado e pode estar sujeito a explicar operações."

Em nota, o BC disse as medidas têm objetivo de "simplificar e modernizar o mercado de câmbio" e possibilitam, "sem abrir mão da segurança", atender "ao aumento no turismo esperado nos eventos esportivos que o Brasil sediará nos próximos anos".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.