Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Marcas chinesas disputam mercado de minivans e minifurgões no Brasil

Deixado de lado pelas montadoras instaladas no Brasil, o segmento de minifurgões e minivans atraiu a atenção de empresas chinesas e hoje três importadoras brigam por esse mercado. Presentes no Salão Internacional do Automóvel, a Chana, Hafei e Jinbei, marcas muito conhecidas na China, disputam clientela que usa o veículo principalmente para o trabalho.Com preços a partir de R$ 20 mil e diferentes configurações, os pequenos veículos comerciais chineses são alternativa num segmento em que as ofertas disponíveis são restritas à modelos como a Volkswagen Kombi, que custa a partir de R$ 42,2 mil, e a importada Mercedes-Benz Sprinter, com preços a partir de R$ 82,7 mil. A mais nova na área é a CN Auto, empresa de sócios brasileiras liderada pela financeira Omni. O grupo iniciou operações em setembro, e afirma ter vendido, até agora, 300 veículos de um estoque de 1,2 mil que chegou ao País no primeiro lote de importação. Um novo lote, de 1,7 mil unidades, chegará em fevereiro, informa Marcelo Mansur Murad, um dos sócios da importadora.Gerou polêmica no mercado automobilístico os nomes escolhidos pela CN Auto para suas vans. Towner e Topic eram os modelos importados na década de 90 pela Asia Motors do Brasil, empresa que faliu sem cumprir promessa de construir fábrica na Bahia, deixando uma dívida que passa de R$ 1 bilhão em impostos, multas e juros. "Fizemos uma pesquisa e constatamos que esses nomes ficaram na memória dos consumidores e são muito queridos", diz Murad, que afirma pagar royalties aos antigos sócios da Asia Motors, um deles também dono de uma pequena parte acionária da CN Auto.Os veículos agora são importados das chinesas Hafei e Jinbei, e custam a partir de R$ 24 mil. A Effa Motors também importa pequenos utilitários da Hafei, mas de versões menos atualizadas. Os preços começa em R$ 20 mil. José Geraldo Sampaio Moura, diretor-superintendente da Effa, diz que as vendas este ano devem somar 600 unidades. Para 2009, a previsão é de 400 utilitários ao mês.Além da Hafei, a Effa importa o compacto M100, da marca Changhe, que deve custar na faixa de R$ 25 mil na nova versão que está sendo trazida. A empresa iniciará as vendas de automóveis da também chinesa Lifan. O modelo hatch 520i custará a partir de R$ 35 mil. Já a Districar, representante da marca Chana, tem furgões, vans e picapes com preços a partir de R$ 26,5 mil. As três importadoras afirmam ter intenção de, futuramente, montar fábricas no Brasil em parceria com as fabricantes chinesas. A Effa fala em uma unidade no Uruguai e outra em Manaus (AM). No início das importações, teve dificuldades em homologar alguns de seus produtos, assim como a Chana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.