Marco regulatório não afasta estrangeiras, diz Gabrielli

O novo marco regulatório do setor de petróleo não está afastando petroleiras estrangeiras do Brasil, apesar de haver sinais desse movimento, avalia o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, em entrevista exclusiva à Agência Estado. Segundo ele, o que está ocorrendo é um ajuste de portfólio no mercado internacional. A americana Devon pôs seus ativos no País à venda e a italiana Eni indicou que pretende reduzir suas atividades por aqui. "Elas não estão deixando o País, mas ajustando seus portfólios internacionais. As empresas estrangeiras estão deixando as bacias com maior risco", disse. "Tenho conversado com muitas empresas de petróleo e o interesse de vir para o Brasil é extraordinário."

AE, Agencia Estado

02 de dezembro de 2009 | 08h58

Gabrielli comentou o processo de capitalização da estatal, rebatendo críticas de que há pressa em promover a oferta de ações para garantir o aumento da participação da União na companhia antes das eleições presidenciais. Ele rejeitou também as reclamações da indústria paulista no mercado de gás. "É uma loucura um grande consumidor querer contratar gás de 2016 em diante. Eles querem que a Petrobrás faça o quê? Resolva os problemas de todos os setores da economia? Não pode." Apesar de admitir que há interesse em entrar no mercado de distribuição de gás em São Paulo, o executivo evitou comentar se a estatal negocia a compra da Gás Brasiliano. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleoPetrobrasmarco regulatório

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.