Marfrig quer crescer no mercado de carne bovina

Após a venda da Seara, divisão de aves e suínos, para o JBS, grupo espera reduzir suas dívidas para cerca de R$ 5 bilhões

O Estado de S.Paulo

10 de agosto de 2013 | 02h09

A Marfrig, terceira maior produtora de carne bovina do mundo, espera estar mais bem preparada para brigar por esse mercado com as grandes companhias globais após se livrar de uma dívida de quase R$ 6 bilhões com a venda da Seara, a divisão de aves, suínos e processados.

Como sua principal concorrente em bovinos, a JBS, compradora da Seara, terá de lidar com as dificuldades da organização do novo negócio, a Marfrig acredita que poderá ganhar mais espaço e dinheiro em carne bovina, diz o futuro presidente executivo da companhia, Sérgio Rial. Ele assumirá o comando do grupo no início de 2014.

"É muito desafiador, não há espaço para pedalar dos dois lados", avalia Rial. Ele segue na presidência da Seara enquanto a empresa não é definitivamente transferida para a JBS.

Rial avalia que a JBS, líder na produção global de carne bovina, à frente da norte-americana Tyson Foods e da Marfrig, deverá estar muito centrada na consolidação da Seara e no equacionamento de sua dívida maior, especialmente após a aprovação do negócio pelos órgãos reguladores, em setembro. O acordo de venda da Seara para a JBS foi firmado em junho.

"A aquisição da Seara vai exigir tempo e atenção da JBS para que os R$ 6 bilhões (da dívida) não fiquem mais caros", declarou Rial um dia após a Marfrig divulgar prejuízo trimestral, ainda influenciado pela operação da Seara. Ele espera que a redução do endividamento da Marfrig, que deve cair para pouco mais de R$ 5 bilhões, dará condições para a empresa brigar para crescer no ramo de carne bovina./ REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.