Marfrig tenta acordo com CVM

A Marfrig protocolou ontem um termo de compromisso com a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para encerrar uma investigação que recai sobre o presidente da empresa, Marcos Antonio Molina dos Santos, o diretor financeiro, Ricardo Florence, o diretor operacional, James Cruden e Alexandre José Mazzuco, ex-diretor financeiro da companhia, que estão sendo investigados por não terem seguido regras sobre a divulgação de resultados. De acordo com a empresa, a autarquia deverá avaliar o pleito nos próximos dias.

FERNANDA GUIMARÃES, O Estado de S.Paulo

31 de agosto de 2013 | 02h16

Segundo a Marfrig, a CVM questionou a empresa em 2011 sobre uma "determinada nota explicativa e quanto à necessidade de contabilização do passivo contingente correspondente". A Marfrig afirmou, em nota enviada ao Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, que a companhia aceitou na época, de forma integral, as observações que foram feitas pela CVM, e adotou, imediatamente, o critério proposto pela CVM em suas demonstrações financeiras.

"Como é de praxe, a CVM instaurou um processo administrativo junto aos administradores da Marfrig à época, procedimento este que está em fase inicial", explicou a empresa, na nota.

Segundo a Marfrig, a companhia decidiu "por bem"protocolar o pedido de assinatura do termo de compromisso. No site da CVM, a autarquia explica que o processo foi instaurado para apurar uma eventual responsabilidade dos executivos citados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.