Margem de lucros do setor minerador pode ter atingido pico

O aquecido setor de mineração podehaver atingido seu pico em termos de margem de lucro após oscustos terem subido mais que as receitas durante o ano passadono caso das maiores empresas, afirmou um relatório divulgado naterça-feira pela PricewaterhouseCoopers. "Apesar de a maior parte dos indicadores mostrarem umcrescimento excepcional, há sinais de que algumas áreas estãoperdendo energia e podem estar chegando a seu pico", afirma orelatório. "As margens de lucro líquido, o ROE (retorno sobre opatrimônio) e o Roce (retorno de capital) indicam que os ganhosrelativos das empresas mantiveram-se ligeiramente reduzidosquando comparados com os anos anteriores, e isso enquanto aspressões subiam." A receita dos 40 maiores grupos mineradores do mundoaumentou 32 por cento no ano passado, mas foi superada por umaumento nos custos de 38 por cento. "Prevemos que 2008 refletirá o crescimento da produçãoapesar de fazer isso com resultados que refletem as crescentespressões dos custos", afirmou o relatório. As margens de lucrolíquido caíram para 26 por cento no ano passado, de 28 porcento em 2006, ao passo que o retorno sobre o patrimônio sofreuuma queda de quatro pontos percentuais (de 33 por cento para29). As empresas envolvidas com o ouro tiveram as menoresmargens, acrescentou o relatório. A capitalização de mercado no caso dos maiores gruposmineradores subiu 54 por cento, com a melhor performance sendoregistrada para as empresas grandes diversificadas e asempresas dos mercados emergentes, afirmou o documento. A Vale, do Brasil, registrou o crescimento mais rápido,superando a Anglo American e ficando em terceiro lugar no anopassado. Seu crescimento anualizado somou 79 por cento desde2003. A BHP Billiton, que fez uma oferta para assumir o controleda rival Rio Tinto, e esta última são as duas com maiorcapitalização de mercado, estando em primeiro e segundo lugar,respectivamente. O retorno total para os acionistas no caso das maioresempresas atingiu uma média de 119 por cento, bastante acima dos55 por cento registrados no ano anterior. (Reportagem de Eric Onstad)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.