Maria Fernanda defende operação no caso Panamericano

A ex-presidente da Caixa Econômica Federal, Maria Fernanda Ramos Coelho defendeu, nesta tarde, as operações feitas pela instituição para a compra do Banco Panamericano. Durante o seu discurso para transmissão do cargo para o novo presidente, Jorge Hereda, Maria Fernanda disse que "deixa o posto com essa questão equacionada". "A Caixa tem novo parceiro como acionista, e estou certa de que, nos próximos anos, ambos terão o retorno esperado para o investimento realizado", disse.

MARCELO DE MORAES, Agencia Estado

29 de março de 2011 | 18h57

Maria Fernanda garantiu que a Caixa se cercou de todos os cuidados técnicos antes de realizar a polêmica compra do então banco do grupo Silvio Santos. "É importante salientar que a decisão da compra foi tomada em função das convergências acordadas, principalmente em setores em que a Caixa não possuía ou tem apenas participação, a exemplo da carteira de veículos. A aquisição foi feita após terem sido tomadas todas as medidas que as boas práticas do mercado sugerem", afirmou. Ela acrescentou que deixa a presidência da Caixa com "a consciência do dever cumprido".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.