Marinho cobra adesão de bancos ao crédito vinculado à folha

Após fechar acordo com 29 instituições financeiras para a concessão de crédito, cujos pagamentos serão descontados diretamente na folha de pagamentos, o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Luiz Marinho, mandou hoje um recado para os bancos Itaú, Unibanco, Nossa Caixa, Citibank e BankBoston, instituições que ainda não firmaram acordo com a Central. "Vamos fazer a última homologação de acordos na semana que vem e, depois disso, só no próximo ano vamos voltar a mexer com esse negócio. Esses bancos, que estão fazendo certa cena e certa cera nesse processo, têm uma última oportunidade na outra semana."O sindicalista lembrou que essas instituições, em especial o Unibanco e o Itaú, contam com as folhas de pagamento de montadoras importantes como Volkswagen, Ford e Mercedes. "Garanto que se esses bancos não fecharem o acordo na próxima semana os trabalhadores dessas empresas vão ter acesso aos bancos que já estão com contratos assinados", assegurou. Crédito aos aposentadosMarinho disse também que no próximo dia 18 vai se reunir com instituições financeiras e o ministro da Previdência, Ricardo Berzoini, para negociar as condições de empréstimos para aposentados com desconto direto ao benefício. De acordo com o sindicalista, "o mínimo" que os bancos têm de oferecer aos aposentados é uma taxa de juros entre 1,75% e 3,3%, como já oferecem aos trabalhadores. "Os bancos estão querendo juros mensais de 4%, o que é um absurdo e não vamos aceitar", adiantou, esclarecendo que as instituições financeiras avaliam que os empréstimos aos aposentados são operações de maior risco, devido ao risco de morte das pessoas com idade mais avançada. ?Quando morrem, muitos aposentados deixam pensionistas que podem perfeitamente honrar os pagamentos", argumentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.