Marinho espera acordo para suspender demissões na GM

O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Luiz Marinho, disse hoje que espera para até amanhã a realização de um acordo entre a General Motors e o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos para suspender a demissão de 450 funcionários da montadora na unidade do Vale do Paraíba. "O acordo criará tranqüilidade para certas negociações com o governo", disse em entrevista coletiva, referindo-se aos acordos para incentivo de vendas de veículos e para renovação da frota de caminhões, o Modercarga. "Independentemente do anúncio de demissões, as negociações sobre os acordos do setor seriam feitas. Se as montadoras anunciaram os cortes para provocar o governo, estão equivocadas", analisou. Marinho reiterou ainda que no caso da Volkswagen, que afirma possuir um excedente de quase 4 mil funcionários na unidade de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, os empregos estão garantidos por acordo até 2006 e não há o risco de os trabalhadores serem demitidos. Ele acompanha nesse momento, a divulgação do estudo "Do Holerite às Compras", produzido pelo Departamento Intersindical de Estatística de Estudos Sócios Econômicos (Dieese), e que compara a remuneração, preços de produtos e o poder aquisitivo de 17 municípios brasileiros com fábricas de veículos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.