Marinho: venda da folha do INSS a bancos deve sair logo

O ministro da Previdência Social, Luiz Marinho, e representantes dos bancos poderão anunciar na próxima semana um acordo pelo qual as essas instituições assumirão a folha de pagamentos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Marinho disse hoje que a negociação está nos detalhes finais. "Veremos se na terça-feira anunciaremos um acordo", disse o ministro.O governo quer que os bancos comprem o direito de continuar pagando mensalmente aposentadorias, pensões e auxílios a mais de 25 milhões de pessoas. Marinho evita falar quanto essa venda pode render aos cofres públicos, mas observa que a folha do INSS tem grande valor e deve ser "precificada". Se não conseguir fechar um acordo com os bancos, o governo promete fazer em 2008 um leilão da folha de benefícios do INSS, semelhante ao que está sendo feito com as folhas de pagamento nos Estados e municípios.Atualmente, é o governo quem paga às instituições financeiras e gasta por ano cerca de R$ 250 milhões pela prestação do serviço. Os bancos recebem por operação realizada. O aposentado ou pensionista que recebe via cartão magnético rende R$ 1,07 para o sistema financeiro, e o correntista, R$ 0,30.Comprovante de renda Hoje, o Ministério da Previdência Social acertou com entidades representativas de aposentados o fornecimento de dois comprovantes de renda por ano para cerca de 22 milhões de aposentados e pensionistas. Essa é uma antiga reivindicação dos aposentados que argumentam terem a necessidade de um documento oficial de renda para realização de algumas operações.O primeiro comprovante será fornecido entre janeiro e fevereiro do próximo ano, relativo à renda recebida em 2007. A partir de 2008, serão entregues dois documentos, cada um referente ao semestre. Marinho afirmou que os custos de envio dos comprovantes estão sendo negociados com a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT). "Vamos discutir com a ECT uma espécie de tarifa social para reduzir ao máximo as despesas do INSS", afirmou Marinho.A Dataprev, estatal que dá suporte tecnológico ao INSS e é responsável pela folha de pagamentos da Previdência, fará a impressão dos documentos. Segundo o ministério, a capacidade da estatal é rodar por dia cerca de 700 mil comprovantes, e por isso serão necessários 60 dias para impressão dos primeiros comprovantes relativos a 2007.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.