Marketing baseia-se em dados privados do cliente

Informações obtidas nas consultas de crédito podem ganhar outra finalidade: servem de matéria-prima para ações de marketing. Dados sobre os hábitos de consumo dos clientes são utilizados por empresas para direcionar melhor a sua propaganda. Há um ano, a operadora de telefonia celular BCP criou um departamento só para estudar a localização geográfica dos potenciais clientes, comprando um "mailing list" (lista de nomes e endereços). O departamento também coleta dados a respeito dos hábitos das pessoas que já são clientes da empresa: todos os telefonemas feitos pelos celulares da operadora são rastreados. Com os dados obtidos, a BCP prepara campanhas segmentadas por região para ampliar a sua base de assinantes, oferecendo produtos diferenciados. A legislação brasileira não proíbe ofensivas de marketing como a da BCP. No entanto, a falta de leis que tratam da manipulação de dados pessoais pode levar a freqüentes distorções. Pela Internet, são veiculados anúncios de venda de e-mails de pessoas físicas e jurídicas, a partir de R$ 150,00 pelo lote de um milhão de endereços, todos captados de forma duvidosa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.