Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Marta acha que a taxa de iluminação não é aumento

Em nota enviada para o Grupo Estado, a Secretaria de Finanças do Município de São Paulo classificou como "um equívoco conceitual" considerar a taxa de iluminação como aumento de tarifa de energia elétrica no cálculo do IPC da Fipe. Segundo a secretaria, a taxa é um imposto direto cobrado na conta de luz para "conveniência do contribuinte". De acordo com o coordenador da Fipe, Heron do Carmo, a taxa será responsável pela metade da inflação de maio na cidade de São Paulo.Para Heron, a incorporação da taxa significa um aumento de 6% na conta de energia elétrica em São Paulo. Considerando o peso que a luz tem na composição do IPC-Fipe, de 4,20%, o impacto geral será de 0,24 ponto porcentual, divididos em dois meses e meio, sendo 0,10 ponto na inflação de maio, 0,10 ponto na inflação de junho e o restante em julho. A inflação prevista por Heron para maio e junho é de 0,20%, o que segundo ele, metade deste índice virá do novo imposto regulamentado pela Prefeitura de São Paulo.

Agencia Estado,

20 de maio de 2003 | 18h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.