Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Más notícias e recessão japonesa derrubam mercados asiáticos

Maior queda foi registrada em Xangai, -6,31%; índice de Tóquio caiu -2,27% e o de Seul, -3,91%

Agências internacionais,

18 de novembro de 2008 | 05h21

As Bolsas asiáticas fecharam o pregão desta terça-feira, 18, em baixa, seguindo os resultados dos outros mercados mundiais na segunda-feira. As quedas aconteceram após o anúncio de uma série de más notícias. Desta vez, as ordens de venda de ações foram atribuídas principalmente à entrada do Japão em recessão, anúncios de demissões pelo Citigroup e HSBC, a revisão da produção industrial dos EUA em setembro para a maior queda desde fevereiro de 1946 e o recuo recorde do índice de atividade industrial Empire State. O declínio do petróleo também pesou.  Veja tambémDe olho nos sintomas da crise econômica  Lições de 29Como o mundo reage à crise  Dicionário da crise  O índice Nikkei da Bolsa de Tóquio fechou em baixa de 194,17 pontos (2,27%), aos 8.328,41. O índice Topix, que reúne todos os valores da primeira seção, caiu 15,05 pontos (1,77%), para 835,44. Nesta terça-feira, o ministro da Economia japonês, Kaoru Yosano, afirmou que a contração na segunda maior economia do mundo pode continuar durante o atual ano fiscal e em 2009. Na segunda-feira, o governo anunciou que a economia do país entrou em recessão após uma contração entre julho e setembro de 0,4% em termos reais, a segunda redução trimestral consecutiva depois dos 3% entre abril e junho. Em Seul, o índice Kospi caiu 42,16 pontos (3,91%), aos 1.036,16. O indicador de valores tecnológicos Kosdaq perdeu 9,72 pontos (3,09%), para 305,26. A maior queda do mercado asiático foi registrada em Xangai, -6,31%, seguida por Hong Kong (-5,77%) e Jacarta (-5,14%). As outras bolsas também registram quedas: Manila -3,42%; Cingapura -2,93%; Bangcoc -1,28% e Kuala Lumpur -0,58%. A bolsa australiana desabou -3,47%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.