Mato Grosso do Sul restringe entrada de produtos agropecuários do Paraguai

Objetivo é impedir a disseminação da febre aftosa para o rebanho sul-mato-grossense 

Ana Conceição, da Agência Estado,

26 de setembro de 2011 | 11h12

SÃO PAULO - O governo de Mato Grosso do Sul proibiu a entrada de veículos, produtos e subprodutos orgânicos e agropecuários do Paraguai "oriundos ou não de frigoríficos e abatedouros que apresentem riscos fitossanitários". O decreto 13.267, que restringe o ingresso de produtos do país vizinho foi publicado nesta segunda-feira, 26, no Diário Oficial do Estado.

O objetivo é impedir a disseminação da febre aftosa para o rebanho sul-mato-grossense. Na segunda-feira passada, um foco da doença foi encontrado na região central do Paraguai, na fazenda Santa Helena, em Sargento Loma, no Departamento de San Pedro, a 150 km da fronteira com o Brasil.

A proibição será válida por cinco dias, prorrogáveis por mais dez. De acordo com o governo estadual, a medida é necessária para a aplicação de medidas sanitárias preventivas a fim de impedir o ingresso e a passagem de animais, seus produtos e subprodutos, assim como de produtos vegetais que possam veicular o agente causador da febre aftosa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.