finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Mattel promete reduzir o prazo para troca de brinquedos

Empresa se compromete a fazer o recall dos bonecos do Batman e da Barbie em 15 dias

Isabel Sobral e Ana Paula Lacerda, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2017 | 00h00

A fabricante de brinquedos Mattel se comprometeu ontem a reduzir de 45 para 15 dias o prazo de recall de dois brinquedos: o Batman, com ímã aparente, e a boneca Barbie. Já a boneca Polly, por ter 33 itens diferentes na sua composição, continuará tendo o prazo de cerca de 45 dias para o recall.A decisão foi anunciada pela Mattel depois de uma reunião do representante da empresa, Ronald Schaffer, com o diretor do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), Ricardo Morishita, ontem à tarde, em Brasília.A Mattel anunciou esta semana o recall preventivo de 850 mil brinquedos no País, cujas peças continham pequenos ímãs. No mundo, serão recolhidos 21,8 milhões de brinquedos.Na reunião com o DPDC, a Mattel também se comprometeu a melhorar o sistema de informações ao consumidor. A empresa vai avaliar a possibilidade de enviar e-mails ou cartas e intensificar as campanhas publicitárias iniciadas ontem.O processo de recall no Brasil exige que os consumidores entrem em contato com a Mattel, por telefone (0800-7701207) ou por e-mail (recall.brasil@mattel.com) para pedir a troca do brinquedo.Até ontem, a empresa já tinha recebido 9,2 mil ligações e 2 mil e-mails. A maioria, de consumidores querendo saber quais produtos faziam parte do recall. A lista completa dos brinquedos pode ser vista no site www.recallmattel.com.br e também no portal do Estadão (www.estadao.com.br).Para participar do recall, as pessoas se cadastram, recebem um catálogo para escolha do produto e um envelope, com as despesas postais pagas, para enviar as peças. Após a avaliação, a empresa entra em contato para verificar se o consumidor quer outro brinquedo ou ser ressarcido em dinheiro.O compromisso da Mattel no caso dos bonecos Barbie e Batman é eliminar a etapa do catálogo e, com isso, reduzir o prazo. O DPDC fez ainda outras sugestões que serão avaliadas pela companhia.Uma delas é a possibilidade de envio de peças coletivamente à empresa pelos Correios, em um único envelope, em situações de famílias que residam num mesmo condomínio ou de crianças que estudem numa mesma escola.A maioria dos brinquedos que fazem parte do recall foram vendidos nas regiões Sudeste e Sul do País. São Paulo concentra a maior parte, com cerca de 370 mil brinquedos. Em seguida, estão Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul (ver quadro).Segundo informações da Mattel, 85 mil brinquedos ainda estavam nas lojas, mas o processo de recolhimento já foi iniciado. Ontem, em uma operação de fiscalização, o Procon-SP autuou uma loja na capital paulista que ainda comercializava os brinquedos, além de duas lojas virtuais. As lojas irão responder processo administrativo, e podem receber multas de R$ 212,82 a R$ 3,1 milhões, de acordo com o Código de Defesa do Consumidor.PROCESSOO presidente da Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos (Abrinq), Synésio Batista, afirmou que a entidade vai processar a Mattel caso verifique queda nas vendas do setor de brinquedos.''''O mercado brasileiro está sofrendo o maior abalo físico e psicológico de sua história por causa de uma empresa que não produz um prego no Brasil'''', afirmou. A venda de brinquedos movimenta cerca de US$ 1 bi por ano no País. ''''Sabemos quanto se vende todos os anos na Semana da Criança. Se houver queda, a Mattel terá de reparar o setor.'''' A Mattel afirmou que não vai comentar o assunto até receber alguma notificação jurídica. COLABOROU ADRIANA FERNANDES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.