Máxima lança fundo IGC

A administradora de fundos Máxima Asset Management mudará a carteira de seu Fundo Tag Along, que investia em papéis de empresas com compromisso de pagar aos minoritários os mesmos dividendos pagos aos majoritários. A partir de novembro, o fundo irá investir em papéis do Índice de Governança Corporativa (IGC) da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).O IGC é formado por papéis de empresas que têm um compromisso maior com a transparência. Segundo o gerente de gestão de renda variável da Máxima, André Querne, a administradora acredita que o IGC irá ganhar mais espaço nos próximos anos. "A governança traz maior transparência ao investidor e as empresas estão buscando esse caminho para garantir mais negócios com seus papéis e para ter maior facilidade na hora da captação", disse. "Teoricamente, há um risco menor se o minoritário é tratado melhor", completou.Querne informou que a mudança será feita porque um outro fundo chamado Axes, tinha a carteira muito parecida com a do Tag Along. "A mudança foi feita, e aprovada em conselho, porque queríamos dois fundos com caras diferentes."O gerente salientou que esse será um fundo ativo, que não vai espelhar o IGC. "Não investiremos em todos os papéis do IGC, pois mais de 50% do índice está concentrado no setor financeiro, muito sujeito a oscilações", informou. Segundo Querne, haverá um balanço por setor e papéis de bancos terão um peso menor na composição da carteira. "O fundo irá investir nas melhores opções do IGC."Veja, nos links abaixo, matérias sobre as mudanças na marcação dos fundos e sobre opções desse segmento. Veja também cartilhas com dicas de investimento e análises de carteira de acordo com o perfil do investidor e o prazo da aplicação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.