McClatchy compra 2ª maior rede de jornais dos Estados Unidos

A McClatchy Co., uma companhia de jornais regionais da Califórnia, comprou hoje a Knight Ridder, a segunda maior rede de diários dos Estados Unidos. O preço ficou em US$ 4,5 bilhões, ou US$ 67,50 por ação - próximo dos US$ 70 que os analistas previram como teto. A operação mostrou que continua a haver interesse dos investidores pela negócio da mídia escrita, a despeito das tiragens estagnadas ou em queda e da perda de receitas de publicidade no setor. A McClatchy assumirá US$ 2 bilhões em dívidas da Knitgh Ridder e financiará a maior parte da operação com um empréstimo bancário de US$ 3,75 bilhões, de acordo com o anúncio conjunto feito hoje, confirmando a esperada operação.O Miami Herald, da Flórida, e o Charlotte Observer, da Carolina do Norte, que pertenciam à Knight Ridder, integrarão agora a integrar um nova cadeia de 32 diários - 17 dos quais jornais de bairro - e cinqüenta outras publicações controlada pelMcClatchy, que passará a ser a segunda maior rede de jornais americanos, depois da Gannett, dona do USAToday. O Sacramento Bee, da capital da Califórnia, era até agora o jornal mais conhecido e premiado da empresa.Incertezas do setorAs condições da compra da Knight Ridder mantiveram, contudo, as incertezas que atormentam as empresas jornalísticas americanas, especialmente em mercados já saturados. A McClatchy anunciou que planeja vender doze dos 32 jornais que comprou da Knight Ridder, entre os quais o Philadelphia Inquirer e o San Jose Mercury News. De acordo com a empresa, os dois diários não se encaixam em sua estratégia de concentrar investimentos em mercados em expansão. O presidente da Knight Ridder, Tony Ridder, disse que "lamenta muito" os planos da McClatchy de desfazer-se dos doze jornais e disse que, para eles, "a incerteza não acabou".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.