McDonald’s cria moeda para celebrar 50 anos do Big Mac

Moedas comemorativas terão valor global e poderão ser trocadas por um sanduíche emvárias partes do mundo

Fernando Scheller, O Estado de S.Paulo

30 de julho de 2018 | 05h00

O McDonald’s vai promover uma ação nesta semana para celebrar os 50 anos do Big Mac, seu mais famoso sanduíche. Já que a revista The Economist usa, há mais de 30 anos, o índice Big Mac para comparar o poder de compra entre as nações, a rede decidiu fazer um ação em mais de 50 países na próxima quinta-feira. Para cada pessoa que comprar uma “oferta” do Big Mac – com batata frita e refrigerante –, a rede dará uma das moedas comemorativas confeccionadas para a ocasião.

Feitas em metal – e disponíveis em cinco versões, alusivas às décadas de existência do Big Mac –, elas poderão ser trocadas, em todo o mundo, por um sanduíche ao longo de 2018. O vice-presidente de marketing do McDonald’s, Roberto Gynpek, aposta, porém, que o brinde poderá se tornar um item de colecionador para os aficionados da marca. “É uma moeda global, mas pode ser um item também para guardar.”

Para a ação global, foram produzidas cerca de 10 milhões de moedas – 300 mil das quais foram enviadas dos Estados Unidos ao Brasil. Como a ação começa às 11h, a recomendação da rede é que os interessados no brinde cheguem cedo. O McDonald’s tem 930 restaurantes no País – e cada um deles deverá receber entre 250 e 300 moedas, em média.

O dia 2 de agosto foi escolhido para a promoção em homenagem a Jim Delligatti, criador do Big Mac, que completaria 100 anos na data. Embora Delligatti tenha criado o produto em 1967, foi no ano seguinte que ele passou a ser vendido em todos os Estados Unidos. A receita do Big Mac é igual até hoje em todo o planeta – uma das poucas exceções é a Índia, onde, por razões religiosas, o sanduíche usa carne de cordeiro.

Tudo o que sabemos sobre:
McDonald'sMarketing

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.