McDonald´s planeja demissões e cortes de investimentos

O chairman e executivo-chefe do McDonald´s Corp., Jack M. Greenberg, disse hoje, após o anúncio do balanço trimestral do grupo, que a companhia deve promover demissões. "Esperamos que não sejam em grande número, mas ainda não sabemos", afirmou. Segundo o executivo, as franquias que apresentarem serviços ruins e falta de limpeza estão correndo maior risco. "Os restaurantes serão fechados por desempenho ruim", disse Mike Roberts, presidente de negócios do grupo nos EUA.Ele delineou planos para que a companhia identifique suas melhores franquias e as ajude a crescer. O principal executivo-financeiro da empresa, Matthew Paull, afirmou que apenas 11 mercados mundiais iriam ganhar mais de dez novos restaurantes no ano que vem. "Estamos concentrando as aberturas em poucos mercados estratégicos", disse Paull, sem identificá-los. Mas um deles claramente é a China, que deve ter pelo menos 100 unidades novas da rede em 2003, o equivalente ao crescimento registrado este ano.Ao mesmo tempo, Greenberg anunciou que a companhia está considerando uma possível reestruturação num pequeno número de mercados internacionais. Mas, segundo ele, "o trabalho está ainda no começo." A redução do número de novas lojas marca uma grande alteração da estratégia para a cadeia, cujos resultados recentes decepcionantes refletiram uma série de problemas mundiais nos últimos trimestres. "A estratégia a curto prazo é otimizar os negócios existentes", disse Greenberg.Os gastos com novos restaurantes vão cair 40%, de aproximadamente US$ 500 milhões para cerca de US$ 875 milhões. Os mercados que deverão sentir os cortes incluem a América Latina e a região Ásia-Pacífico. As despesas de capital para essas áreas poderão cair quase US$ 200 milhões, ou 40%, uma penalidade por não terem conseguido apresentar lucros e quantidade adequada de vendas. Cerca de dois mil restaurantes dos EUA vão passar por remodelação, realocação ou reconstrução no ano que vem, segundo a companhia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.