MCI pede que tribunal dos EUA aprove venda da Embratel à Telmex

A MCI pediu que o Tribunal de Falência do Distrito Sul de Nova York aprove a oferta da Telefónos de México SA (Telmex) para comprar sua unidade brasileira, Embratel Participações SA. A MCI encaminhou a solicitação na sexta-feira, mas só a divulgou no fim desta manhã. O tribunal vai apreciar o pedido em audiência em Nova York no próximo dia 13 de abril, segundo cópia da solicitação fornecida pela MCI à agência Dow Jones. O anúncio indica que a MCI decidiu não reconsiderar sua decisão da semana passada de aceitar a oferta de US$ 360 milhões em dinheiro para ficar com 51,8% da Embratel, US$ 190 milhões a menos do que foi oferecido por um consórcio formado pelas três grandes operadoras de telefonia fixa do Brasil. Por meio de uma holding, Calais, as três empresas, Telemar, Telefónica e Brasil Telecom, ofertaram US$ 550 milhões. A MCI rejeitou a oferta em favor da Telmex apontando os potenciais obstáculos regulatórios de uma compra conjunta pelas três grandes operadoras. A legislação brasileira impede que uma empresa de telecomunicação compre outra na mesma região e na mesma área de negócios. Os representantes das três empresas de telefonia fixa afirmam que a estrutura do consórcio formado não violaria a legislação. Isso, no entanto, parece não ter sido suficiente para a MCI. "A MCI aprovou a oferta da Telmex com base na mais recente informação disponível no momento de sua avaliação", disse uma porta-voz da MCI. "A avaliação foi baseada em fatores que incluem ´valuation´, a probabilidade da aprovação das autoridades reguladoras e um período antecipado para a conclusão", acrescentou. A venda ainda precisa ser aprovado pelo tribunal "uma vez que a MCI continua em concordata", disse a porta-voz.

Agencia Estado,

22 Março 2004 | 15h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.