Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

MDIC: setor privado deveria investir em infra-estrutura

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Miguel Jorge, afirmou hoje que o setor privado deveria se mobilizar mais para fazer investimentos de longo prazo, especialmente em projetos de infra-estrutura. "Às vezes o setor privado reclama um pouco mais do que devia. O setor privado deveria agir mais sem esperar muito do governo, pois tem muita capacidade de atuação própria", comentou. Ele ressaltou que é preciso melhorar a capacidade de atuação das agências reguladoras, mas é necessário reconhecer que tais instituições são novas no Brasil e não contam com a experiência de agências que operam em outros países há décadas. "Todo mundo fala que nos Estados Unidos as agências funcionam melhor. Mas é claro, porque lá (estas instituições) têm 30, 40 anos. Estamos ainda num processo de aprendizado", disse.Nos EUA, ressaltou o ministro, as ferrovias e linhas de metrô foram construídas por empresas particulares. Miguel Jorge apontou que no Brasil estas obras de grande porte começaram a ser feitas pelo governo. "Mas o setor privado tem de recuperar a capacidade de fazer projetos de infra-estrutura, fazer portos, ferrovias, estradas, que é o que está sendo feito via concessões", disse.O ministro Miguel Jorge destacou que a questão envolvendo o marco regulatório não está atrapalhando as concessões públicas que estão sendo implantadas pelo governo federal, pois exibem um alto nível de interesse do setor privado. "A questão do marco regulatório, no caso da ANTT (Agência Nacional de Transporte Terrestre), não é um problema. As concessões de estradas estão sendo disputadíssimas, inclusive por grupos estrangeiros. Será possível que os grupos estrangeiros tenham mais confiança nas agências regulatórias do que as empresas nacionais?", questionou.

RICARDO LEOPOLDO, Agencia Estado

13 de junho de 2008 | 16h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.