Média importada aumenta 15,1% na 3ª semana de junho

As importações brasileiras somaram US$ 4,878 bilhões na terceira semana de junho, o que representa uma média diária de US$ 975,6 milhões, ou seja, um aumento de 15,1% ante a média diária de US$ 847,5 milhões das duas semanas anteriores. De acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), divulgados hoje, cresceram as despesas com combustíveis e lubrificantes, aparelhos eletroeletrônicos, siderúrgicos, cobre e suas obras e aeronaves e peças.

EDUARDO RODRIGUES, Agencia Estado

20 de junho de 2011 | 16h05

Em relação à média diária de US$ 706 milhões de junho de 2010, as importações nas três primeiras semanas deste mês apresentam expansão de 27%(com média diária do período de US$ 896,8 milhões). Houve incremento nos gastos, principalmente, com adubos e fertilizantes (alta de 216,8%), químicos orgânicos e inorgânicos (+34,5%), borracha e obras (+33,1%), combustíveis e lubrificantes (+31,7%) e aparelhos eletroeletrônicos (+23,7%).

Exportações

As exportações somaram US$ 5,534 bilhões na terceira semana de junho. A média diária, no período, foi de US$ 1,107 bilhão, o que representa um aumento de 1,4% em relação à média de US$ 1,092 bilhão das duas semanas anteriores. Nessa comparação, as vendas de produtos básicos cresceram 3,8%, principalmente em razão de soja em grão, petróleo, farelo de soja e carnes de frango, suína e bovina.

Já os embarques de manufaturados aumentaram 3%, em função de óleos combustíveis, autopeças, aviões, máquinas e aparelhos para terraplenagem e óxidos e hidróxidos de alumínio.

As exportações de bens intermediários, porém, registraram queda de 7,9% ante as duas primeiras semanas do mês, por conta de semimanufaturados de ferro e aço, celulose, couros e peles, ouro em forma semimanufaturada e ferro fundido.

Em relação ao mesmo mês do ano passado, as exportações de junho, considerando o acumulado até a terceira semana, registraram média diária 34,9% maior. O maior crescimento ocorreu entre os produtos básicos, com 50% de expansão, principalmente em café em grão, petróleo bruto, soja em grão, farelo de soja, minério de ferro e carnes de frango, suína e bovina.

Já as vendas de bens intermediários foram 30,5% superiores às de junho de 2010, em razão de semimanufaturados de ferro e aço, alumínio bruto, ferro fundido, óleo de soja em bruto, celulose e couros e peles. Em seguida, os embarques de manufaturados apresentaram incremento de 20,4%, sobretudo em óleos combustíveis, polímeros plásticos, máquinas para terraplenagem, veículos de carga, motores e geradores, açúcar refinado e autopeças.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.